Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MãeTástica

Tenho 2 filhos com 1 ano de diferença entre eles. Sou mãe, dona de casa e neste cantinho conto as peripécias reais de uma família normal. Entrem comigo nesta aventura

MãeTástica

Tenho 2 filhos com 1 ano de diferença entre eles. Sou mãe, dona de casa e neste cantinho conto as peripécias reais de uma família normal. Entrem comigo nesta aventura

SuperNanny, não há por ai cursos para SuperMommys?


Bons dias pessoas fantásticas, sim, bom dia mesmo que venham á noite, assim é generalizado!

Vou falar-vos de uma coisa que penso muitas vezes. Todos queremos o melhor para os nossos filhos, e sempre pensamos que não há ninguém que cuide tão bem deles como nós. Só por fazermos o papel de mãe devidamente já era de valor alguém nos considerar super mulheres, super mães.

Já pensei que sou muito rígida com os pinguins, ou que sou uma má mãe mas vejo coisas que me tiram do sério nos miúdos de agora e como mãe tento o melhor que sei ne?

Claro que já tive birras em supermercados, uma vez a Tidi fez uma taaaaao grande numa loja que me vim embora sem compras sem nada e desisti completamente naquele dia. Fui directamente para casa, não comprei nada por causa da minha pequena Transformer.

Tenho duas crias com 12 meses e 12 dias de diferença, não é fácil meter ordem nas pessoinhas até porque são 2 pequenos e muito juntos, mas não tendo a mesma idade os estímulos não devem ser iguais logo, se fossem gémeos a coisa dava-se com mais leveza do que assim com esta diferença pequena.

Cá em casa há regras, quadros e quadrinhos, esquemas, a parede da cozinha com recados e incentivos para eles. Se calhar, se lhes tirasse aquilo tudo também dava resultado mas é a maneira que eu tenho de me sentir organizada e pensar que tenho mais ou menos tudo controlado! Não é possivelmente a maneira mais correcta,tem falhas mas é a minha. É o que se tem.

Sei que há pais e pais, como há crianças com feitios complicados (já falei da Tidi?) mas pronto, cada um é diferente mas mesmo a mais maluca e destrambelhada da criança da para ir controlando. Pergunto-me se há pais que fazem isto, ás vezes dá trabalho. Ou se há mães que precisam só de umas luzes para poder resolver o problema da criançada.

É que má educação não pode ser confundida com hiperactividade.

Vejo miúdos super mal educados chegam a chamar nomes aos adultos e cuidadores , levantam a mão e chegam a bater, não respeitam e depois na escola são meninos hiperactivos tadinhos...

Claro que há crianças hiperactivas mas não podemos meter tudo no mesmo saco. Não sei se é certo ou errado pensar isto mas mexe comigo.

A certo ponto percebi que a culpa é dos pais não é?  A culpa da minha filha ser uma pestinha, é minha. Sou eu que lhe tenho que mostrar o que é o bom e o mau. Mas enquanto que ao Kiko eu explico e ele compreende, a ela é bem mais difícil de lidar. Ele pode não estar de acordo mas faz, porque quem manda aqui sou eu e o pai e o menino obedece ao que lhe é pedido. Arrumar os brinquedos é tarefa deles e obviamente que se desarrumou, vai arrumar, com birra ou sem. Sem birra é mais fácil mas se quiser chorar e ficar chateado com o mundo não faz mal, arruma na mesma. Ela começa no histerismo máximo e que não faz não quer e chega a mandar bonecos para o chão de raiva, ai entra em acção castigos e escadinhas de comportamentos etc, tudo o que me vem a cabeça e mesmo assim é complicado (vá a senhora tem o seu feitio mas é um amor também, não é só peste)

Vimos com o programa da SuperNanny que afinal os pais é que não tem rédeas da situação.

Não me vou pronunciar sobre a exposição das crianças, nem sobre dinheiro que receberam ou não, isso a mim não me interessa nada. Mas se formos pensar no que o programa queria fazer passar que era a ideia de que temos que informar os pais, que tudo tem solução e que se precisam de ajuda procurem porque existem métodos não convencionais de educar uma criança então acho que o programa conseguiu o objectivo que era ajudar os pais.

O que é certo é que os miúdos mudavam logo, apenas porque os pais mudaram atitudes e tiveram ferramentas para os ajudar

Imaginem que a parentalidade dita normal será o nosso sistema de saúde e que ser pai com cartõezinhos de regras e autocolantes será uma coisa como a medicina alternativa (acupunctura e assim). Demora a entranhar na cabeça das pessoas é certo, mas as pessoas que experimentam dizem que tem melhorias, então porque não experimentar?

 O que me espantou é que a senhora SuperNanny fazia e dizia exactamente aquilo que eu tento fazer com eles e cheguei a conclusão de que serei uma SuperMommy em treino. Podem apostar comigo que se houver aulas destas tou lá a tirar notas de regrinhas e quadros e esquemas malucos!

Sou apologista de regras, horários, quadros com imagens e tudo no seu lugar. Falho muitas vezes..não sigo tudo á risca, e mando também uns berros ao pessoal quando já passou o limite e já não vai la com quadros e regras.

Na loja foi assim, e depois senti-me mal porque mandei um berro para ela se por em pé. Ela é uma drama queen e quando fui dar-lhe a mão, a miúda começa em plena loja a gritar - Ai!! Ai tás a aleijar! Lágrimas e ranho pelo meio! Pessoas do corredor ao lado vieram ver se eu estava a bater na rapariga tal era o escândalo. Peguei-lhe ao colo, o Kiko ficou a olhar, não era nada com ele e ficou triste por irmos embora da loja e ela foi no berreiro dito histérico, ao colo. Tivemos que atravessar a loja TOOODAAA assim e a birra ainda durou uns bons 10 minutos. Filme portanto com direito a óscar para a bebé mais actriz que conheço.

Se estou a fazer bem ou não, não sei. Para mim tem funcionado mais ou menos assim . 

E por ai? Vocês fazem alguma coisa assim? A quem tiver dicas, maneiras diferentes de fazer as coisas, criticas, aceito tudo!

Beijinhos pessoas deste cantinho e mais amor para todos!